Filme retrata professoras negras nos Estados Unidos e Brasil.



Flores de Baobá é o mais novo projeto da cineasta Gabriela Watson 

Texto e Edição de Imagens: Solon Neto 

Filmado simultaneamente no Brasil e nos Estados Unidos, Flores de Baobá é um documentário que aborda racismo e acesso à educação como um problema internacional.

Através das histórias das professoras de ensino médio, Storm Foreman (Nyanza Bandele), da Filadélfia, Estados Unidos, e Priscila Dias, da cidade de São Paulo a diretora Gabriela Watson Aurazo retrata a luta das comunidades negras dos dois países na tentativa de garantir o direito à educação, e é resultado de dois anos de pesquisa.

Flores de Baobá usa poesia ao lado da observação para abordar as proximidades entre mulheres negras e as lutas locais relacionadas à educação e igualdade. O documentário questiona a desigualdade no acesso à educação de qualidade pela população negra, aponta necessidades curriculares como uma abordagem positiva da ancestralidade africana, e evidencia o papel das mulheres negras nesse processo. Nyanza e Priscila são postas lado a lado para mostrar essas semelhanças que a população negra tem em suas demandas em diversos países, e se mostram modelos inspiracionais no ativismo anti-racista.

Financiamento Coletivo

Com o objetivo de lançar o trabalho ainda em 2017, Gabriela divulgou no final do ano passada um projeto de financiamento coletivo para o filme. Com meta de R$ 35.000,00, o projeto já alcançou 3% do montante com 17 apoiadores.

Para contribuir basta acessar o projeto aqui, cadastrar-se e realizar a doação. De acordo com a contribuição escolhida, o projeto permite algumas regalias que vão desde sessões exclusivas com prévias do filme e acesso à trilha sonora, a ingressos para a estreia e eventos com a diretora do filme. As contribuições serão arrecadadas até o dia 22 de Março.



Formada em Comunicação pela Cásper Líbero e mestranda pela Master Fine Arts da Universidade de Temple, nos Estados Unidos, a diretora Gabriela Watson tem entre seus trabalhos os documentários "Nosotros, afroperuanos" e "Zeca", além dos filmes "O Poeta da Casa Verde" e "CinEdu – Cinema, Educacao e a Formação do olhar". Destaque,"Nosotros, afroperuanos chegou a ser exibido em mais de 10 países. Além de Gabriela, o filme conta ainda com uma equipe de produras executivas. São elas: Dra. Doris Derby, ex-ativista do Movimento dos Direitos Civis no Mississipi, fotógrafa documental; Joyce Prado, fundadora da "Oxalá Produções" e diretora de obras como a websérie "Empoderadas"; Melissa Beatriz Skolnick, documentarista e multimedia storyteller, ativista em ONGs da Filadélfia.

Links:

Página no Facebook: https://www.facebook.com/floresdebaoba/?ref=page_internal

Projeto no Catarse: https://www.catarse.me/floresdebaobafilme

Website: http://www.baobabflowersfilm.com/

FICHA TÉCNICA

Ano de Lançamento: 2017
Direção e Argumento: Gabriela Watson Aurazo

Produção Executiva: Doris Derby Joyce Prado, Melissa Skolnick

Direção de Fotografia: Hannah Angle, Tomires Ribeiro e Renato Cândido

Trilha Sonora: Lucas Cirillo e Giovani Di Ganzá

Assistentes de câmera: Quynh Le, Kayla Watkins

Assistência de Direção: Renata Martins

Assistência de Produção: Aiko Brown, Mark Kaercher, Pamella Aleixo, Talícia Vênancio, Jessica Cruz

Som Direto: Renata Martins, Ana Julia Travia, Lucas Wozniak, Felipe Faria de Miranda

Montadora: Jéssica Queiroz

Assistente de edição: Bianca Santos

Consultoria: Liliane Braga, Maria Giraldo, Dançarina: Cleonice Fonseca 
Fonte: Alma Preta


Sobre o autor
Adenilton Cerqueira é fundador e diretor editorial da Black Brasil, conhecido entre os amigos como Théo, baiano,  feirense de nascença e soteropolitano de coração, é radialista, e blogueiro nas horas vagas. continue lendo aqui  

 
Black -Brasil © 2006 - Adenilton Cerqueira