Mãe é acusada de abuso por causa desta foto.



Heather Whitten é fotógrafa documental. Em 2014, ela fez sucesso nas redes sociais ao publicar uma foto do filho, Fox, com seu marido, Thomas, no chuveiro. Na ocasião, o garoto estava doente, vomitando e com diarreia. O pai entrou no banho com ele para acalmá-lo e confortá-lo.

Com 9 milhões de pessoas alcançadas, o post recebeu apenas uma queixa, o bastante para que o casal passasse a ser investigado pelo Departamento de Segurança Infantil do Arizona e pela polícia da cidade onde moram, Sahuarita, por – pasmem – abuso infantil.

Na ocasião, as autoridades reconheceram que não havia nada a ser investigado. Só que, agora, uma investigadora do Departamento resolveu recolocar a acusação novamente em julgamento. “[Ela] escolheu me considerar uma mãe imodesta, negligente e abusiva depois de uma única entrevista que demos”, disse Heather, que completou: “mais tarde, ela deixou claro que estava baseando a maioria de suas opiniões negativas sobre mim no fato de que, durante a entrevista, eu amamentei um dos meus filhos gêmeos sem cobrir a mim ou a ele. Naturalmente, ela não poderia tomar qualquer tipo de medida contra nós por qualquer uma de suas alegações – uma era forçada e a outra, eu amamentar em público, um ato normal e protegido por lei”. O desabafo foi feito via Facebook.

Thomas passou horas com a criança. Segundo Heather, ele limpava o filho toda vez que ele se sujava com vômito ou a diarraia. “Foi um momento poderoso para nós como pais (…) Eu sentada no chuveiro, olhando para os dois em minha frente, fiquei encantada com a cena. Esse homem. Esse marido, parceiro e pai. Ele foi tão paciente e tão amoroso e tão forte com o nosso pequeno filho em seu colo. Os sussurros de segurança para Fox, de que ele estaria bem logo e de que Thomas tomaria conta dele, eram tão firmes e tão honestos”, explicou ela.

O grande problema são as consequências que esse caso pode ter em sua vida. Heather será ouvida pela Justiça no dia 3 de fevereiro. Caso o Departamento de Segurança Infantil do Arizona ganhe a causa, o nome da fotógrafa será adicionado ao Registro Central do Arizona por 25 anos, uma lista de pessoas que cometeram abuso infantil no Estado.

Se isso acontecer, Heather não poderá mais cuidar, trabalhar com ou adotar crianças. “Não poderei continuar meu trabalho de apoiar crianças ou adultos vulneráveis. Não apenas no estado de Arizona, mas em todo o país”, contou ela. Por isso, uma campanha de arrecadação de fundos para despesas legais no site Go Fund Me arrecadou cerca de US$ 5 mil em pouco mais de oito horas.


Sobre o autor
Adenilton Cerqueira é fundador e diretor editorial da Black Brasil, conhecido entre os amigos como Théo, baiano,  feirense de nascença e soteropolitano de coração, é radialista, e blogueiro nas horas vagas. continue lendo aqui  

 
Black -Brasil © 2006 - Adenilton Cerqueira