Atriz negra desaparece “misteriosamente” de comercial da Piccadilly



Um dos maiores mistérios da humanidade surgiu nos últimos dias com o lançamento de um comercial da marca de calçados femininos Piccadilly.

O comercial até que começa bem, com mulheres lindas cantando a música “Dancing Days” de Lulu Santos. Fica melhor quando aos 6 segundos de vídeo aparece uma linda mulher negra cantando um trecho da música. Como parte do vídeo, essas mulheres estão todas se preparando para “abrir as asas e soltar as feras”, como sugere a canção. Depois de se prepararem, como quem vai “para o dia-a-dia”, elas saem de casa e fazem uma coreografia na rua no ritmo da música enquanto ainda cantam. Primeiro saem de casa 5 mulheres que formam o “primeiro escalão” do comercial e da coreografia. Até ai beleza, já estamos “acostumados” a não estarmos no primeiro escalão.





Mas, nem tudo estava perdido pois outras mulheres continuam a sair das casas e se integram ao grupo da coreografia. Pensei: “agora sim nossa, nossa negra dos 6 segundos vai aparecer e arrebentar na coreografia”. Ledo engano.

Com essas novas meninas envolvidas na coreografia, em um cenário que lembra a rua de uma vila, são no total 11 mulheres dançando e mais uma sentada. Ao lado dessa que está sentada, há até um homem. Ambos figurantes que estão a observar todas aquelas mulheres lindas e poderosas, dançando e soltando suas feras. Mas, nenhumas das mulheres que estão dançando, ou o homem, é a nossa negra dos 6 segundos.

Gostaria de deixar uma pergunta no ar para quem quiser responder. Onde está a negra dos 6 segundos?




Prováveis possibilidades:

* A gravação foi dividida em duas diárias e ela não pode comparecer no dia da coreografia pois pegou H1N1.
* Na hora descobriram que a negra não sabia dançar e foi substituída por uma loira.
* Ela até dançou. Mas ao rodopiar com um sapato de salto alto ela torceu o tornozelo e foi substituída por uma loira.
* O trecho “caia na gandaia” que ela canta aos 6 segundos combina mais com negras do que “livre leve e linda” que elas cantam enquanto fazem a coreografia.
* Ela na verdade é o homem que está sentado. O figurante faltou e eles só puderam colocá-la, já que convenceu mais como homem estando de lado, maquiada como tal.
* Ela foi representada pela bicicleta preta que aparece aos 29, 32, 41, 44, 46, 48, 51 e 55 segundos

Caso a Piccadilly ou qualquer pessoa no planeta tenha a resposta para os motivos que levaram a negra dos 6 segundos desaparecer do vídeo, e nenhuma outra preta ser colocada no lugar, favor entrar em contato com a nossa humilde redação.




Enquanto isso, aconselhamos nossas irmãs, que consideram ter mais valor que uma bicicleta, já que a mesma apareceu mais do que a negra dos 6 segundos, que não coloquem seus pezinhos de rainha em calçados da marca Piccadilly. Porque, afinal de contas, vocês podem se sentir livres, leves e lindas estando descalças, de chinelos ou de Louboutin, mas jamais devem deixar de ser representadas, pois seu dinheiro não tem cor e é muito bem aceito por qualquer empresa.

O que importa é que sejamos representados e da maneira correta, da maneira que nos agrade, sim. Não queremos ser representados de qualquer maneira ou ter menos prestígio que uma bicicleta. Queremos protagonismo, estar na linha de frente. Afinal de contas, somos mais da metade da população desse país e movimentamos 500 bilhões de reais todos os anos.


Portanto  meninas pretas do Brasil, por enquanto, não comprem calçados dessa marca até que alguma retratação ou mudanças em sua conduta publicitária sejam feitas. Mulher negra não precisa de uma marca qualquer para se sentir livre, leve e linda.
Se não me vejo, não compro!!
Fonte: TNM


Sobre o autor
Adenilton Cerqueira é fundador e diretor editorial da Black Brasil, conhecido entre os amigos como Théo, baiano,  feirense de nascença e soteropolitano de coração, é radialista, e blogueiro nas horas vagas. veja mais   

 
Black -Brasil © 2006 - Adenilton Cerqueira